segunda-feira, 12 de julho de 2010

Estranheza essencial

O mundo canta as distrações infantis do adulto
que se distrai tanto com imperfeições pessoais,
comportamentais, estruturais, banais...
E o infantil onde fica?
perdido nos encontros da chuva com a terra,
no perfume único que tal simbiose produz.
Fica perdido nas folhas secas que não são mortas,
mas, distraídas, são colhidas pelo vento dos outonos amarelecidos,
não velhos: fecundação para flores novas e verdes de matizes recém-criadas.
A essência se perde nas distrações incultas, insólitas e estéreis
de quem perdeu a beleza de ser quem é.
O mundo muitas vezes culpado de tantos crimes,
de tantas perdas, de tantos vazios
nem perdeu a essência de ser belo,
incompreensível, mas misteriosamente belo.

2 comentários:

Regina disse...

Incompreensivel, mas misteriosamente belo!
Verdade perfeita de se extrair o significado do que carregamos em nossa humanidade!
Você sempre soube muito bem com poesia com palavras com muito significado por ter sua sabedoria irraizada...
Comungo desse pensamento belo e fecundo... INCOMPREENSIVEL? MAS MISTERIOSAMENTE BELO§

Kilvânia disse...

Nossaaaaa...
Vc ta escrevendo lindo como sempre...e mais e mais profundo...
Amei esse aqui...muito belo, como tuas palavras e teu ser...
bjss