sábado, 28 de novembro de 2009

... elas dirão tudo ou nada

Existem dores que não se explicam com fatos, palavras, descrições ou emoções, elas simplesmente são sentidas, choradas e, às vezes, expressadas. A dor que sinto hoje é intensa, forte e verdadeira, mas não ruim...é dor de saudade...tão grande que parece que meu peito vai explodir e as lágrimas não vão parar de jorrar dos meus olhos e do meu coração.


É dor de lacuna que não se pode preencher, é dor de lembraças que não se podem reaver, é dor de momentos que não se podem reviver, é dor de erros que não se podem corrigir, é dor de encontros que não mais se realizarão. É a releitura da dor, dos escritos, das músicas, dos livros, dos momentos e da verdade.

Há dores que só os corações que sentem e vivem conseguem ter dimensão do que significam, porém há corações que conseguem comungar em plenitude dessas intensidades e inteirezas próprias de quem já provou o amor e a dor.

Se nossa amizade não tem sabor de eternidade, tem lembranças eternas.
Eu tenho raiz e estou bem aqui.



* Para alguém que na estrada está muuuuuuito longe, mas que na alma está muitíssimo perto.

4 comentários:

Carlinha Lacerda disse...

Vivi!!!
Que texto lindo....
Deus te abençoe!!! Bjs!!

Kilvânia disse...

Fiquei supresa!!!
Essas palavras sao conhecidas e vividas também por mim...
Belas palavras, belo texto...
Bela raiz, plantada pelo Amor, que também é dor.

Intensidade disse...

Vivi,
O que dizer diante de tantas verdades assumidas, e principalmente vividas por você em sua inteireza!!!!
A grande certeza que permeia tudo isso é que Deus vê e conhece a essência, embora enxerguemos apenas a superfície.....Ele sbe e recompensa generosamente àqueles que se entregam ao amor na verdade!!!!
Amo vc,
Vallzinha - pra você: Lindona!!!rsrsrsr

Regina disse...

Frutuoso...
Palavras que caem em meu solo e traduz o que quero dizer diante de minhas saudades, dores, amores... Amores permitidos, amores de amizades, de encontros que só Deus sabe se terá um reencontro... O será encontros para realmente serem lembrados para sempre na memória corpo, alma e coração.

Flor = Regina.